26 Nov, 2014

O que achamos de Trancoso, na Bahia

Em janeiro desse ano, resolvemos nos aventurar em nossa primeira viagem longa de moto. Decidimos ir de Belo Horizonte até Itacaré, na Bahia. Hoje vamos contar sobre a última cidade em que paramos: Trancoso, na Bahia.

Apenas uma coisa sobre a cidade: CARA! E, pelos outros lugares que visitamos, não vale os preços cobrados. Ficamos perto do Quadrado de Trancoso, que é tipo uma praça com restaurantes, casinhas coloridas antigas e lojinhas. Essa parte da cidade é bem bonitinha!

Quadrado em Trancoso

Desabafo: com muito custo escolhemos um restaurante mais em conta pra jantar no primeiro dia (sem suco, porque custava R$ 8 um copo de 300ml de suco de laranja). Enquanto a comida chegava, fomos devorados por mosquitos famintos. Acabamos comendo em 5 minutos e correndo pra pousada meio traumatizados (tanto que não tem nem foto do momento :P).

Ficamos em um chalezinho sem café da manhã e a diária foi R$ 80 (também custamos a achar um mais em conta, só achávamos pousadas lindas e maravilhosas caríssimas). Foi aqui, mas a construção é nova e bem diferente, são 3 chalezinhos. Recomendamos pra passar a noite!

Praia dos Coqueiros

Ficamos na praia mais perto do centro, a praia dos Coqueiros. Pra chegar lá você atravessa uma ponte sobre um manguezal, nunca vi tantos caranguejos juntos!

Manguezal em Trancoso

Logo que chegamos na praia perguntamos o preço na primeira barraca. R$ 80 por pessoa SEM CONSUMAÇÃO. Chocados, andamos até encontrar uma outra bem confortável e que não nos cobrou nada (e também não consumimos, porque os preços não eram pra gente).

Barraca em Trancoso

A maioria das barracas lá tem espreguiçadeiras com travesseiros e colchões, sombrinhas gigantes, tudo bem chique.

Do mar a gente não tem do que reclamar. Água morna e sem ondas, uma delícia! 

Praia dos Nativos

Visitamos também a praia dos Nativos, que é do lado da praia de Coqueiros.

A paisagem com o rio que deságua no mar é linda!

Praia dos Nativos em Trancoso

Mirante de Trancoso

A cidade tem um mirante com uma vista muito bonita! Estávamos tirando uma selfie nesse lugar quando um vendedor de picolé muito simpático perguntou se a gente queria que ele tirasse. Aceitamos, ele tirou, ficamos felizes, e eis que ele oferece: “Quer comprar um picolé?”. Compramos, “pagando” pela foto. Mas quando vimos o palito do picolé – de água de torneira – era premiado! Ganhamos outro sem querer nenhum… rs

Mirante de Trancoso

O Adriano pediu pra acrescentar aqui, porque eu não ia contar essa parte: na hora de comprar o picolé, eu não queria, então compramos só um. Quando vimos o palito premiado, ele esqueceu que eu existia e foi CORRENDO trocar por outro, nem perguntou se eu queria escolher o sabor. Foi o palito da discórdia, porque fiquei com raiva que ele não me ofereceu e me trocou pelo picolé 😛

Queríamos ir na praia do Espelho, que dizem ser maravilhosa, mas a estrada de terra estava ruim e eu não queria ficar presa num areial justo nos últimos dias da viagem. Tem como chegar de barco, mas como a gente descobriu isso mais tarde, não valia a pena ficar só algumas horas. Fica pra próxima!

Veja as cidades que visitamos no nosso roteiro de moto entre Belo Horizonte e Bahia

veja os posts relacionados

Deixe seu comentário